banner-formulanegocioonline-250-1
Logo Essência Cigana
CADASTRO DE NOVIDADES

ACEITAMOS

Bandeiras
Facebook
fone e endereço
CURIOSIDADES
images (9)

A RELIGIÃO DA WICCA

As pessoas se agrupam num monte arborizado às margens do rio Missouri. Estrelas brilham ao redor da Lua Cheia acima das árvores circunvizinhas. Entre os antigos carvalhos, vaga-lumes zumbem piscando suas luzinhas misteriosas. O ar noturno está imóvel, parado.

Quarenta pessoas cercam uma fogueira ardente, de mãos dadas, suas atenções voltadas para uma mulher de pé diante da fogueira. De sua silhueta recortada contra o brilho das labaredas surge uma invocação à Deusa.

As palavras, suaves a princípio, cada vez mais fortes e claras, jorram de sua boca. " Deusa da Lua ", ela diz, " toda poderosa; nós nos reunimos aqui nesta noite de Lua Cheia em Seu nome."

Gravetos crepitam no fogo.

" Deusa do Sol, ó Magnífico, todo poderoso...".

A invocação chega ao fim. A mulher ergue seus braços aos céus enquanto o grupo começa a mover-se no sentido horário num ritmo lento. As pessoas algumas trajando robes com capuzes, algumas com roupas mundanas aceleram seus passos. Elas cantam em um lento tom único, a princípio impossível de ser entendido.

A madeira estala. O luar se derrama. Pés descalços batem no chão. Rápido. O grupo praticamente voa ao redor do fogo e da mulher de pé entre eles, enquanto eles voltam suas mentes para seu propósito.

Após um tempo incomensurável, a mulher solitária ordena que parem. O grupo pára instantaneamente, e seus membros apontam a um só tempo suas mãos para a figura encapuzada. Ela brilha, irradia, treme, e direciona a energia por eles projetada à Deusa, representada pela esfera brilhante no céu.

Exaustos, o grupo senta-se sobre a Terra nua. Observando o fogo, eles conversam e riem e compartilham de vinho e bolos na forma de crescentes.

Seu rito está concluído.

A magia popular é apenas parte do que se costuma chamar de Bruxaria. A outra parte é representada pela religião conhecida como Wicca. Há ao menos cinco elementos principais que distinguem a Wicca de outras religiões, que são:

Culto à Deusa e ao Deus;

Reverência à Terra;

Aceitação da Magia;

Aceitação da Reencarnação;

Ausência de Proselitismo.

A MAGIA

A Magia exerce algum papel em quese todas as religiões. Na Wicca, ela tem papel mais prominente. A Wicca não é uma magia religiosa, apesar de seus seguidores certamente a praticarem. tampouco é uma religião mágica. Trata-se de uma religião que engloba a  magia, recebendo-a como uma oportunidade para sintonizar-se com as energias divina, da Terra e humana.

Por ser a Wicca uma verdadeira religião, a magia tem um papel secundário em seus rituais. Mesmo num rito praticado com vistas a um fim mágico esp ecífico, a Deusa eo Deus são sempre invocados antes do envio da energia.

Os aspectos mágicos da Wicca confudem os leigos, talvez porque, na maioria das outras religiões, creia-se que apenas os sacerdotes ou salvadores possam, em uma só palavra, canalizar a energia divina. A Wicca não é tão exclusivista; ela encara a magia como uma parte natural da vida e da religião.

A Reencarnação é um antigo ensinamento que a maioria dos Wiccanos encara como realidade. Basicamente, a reencarnação é a doutrina do renascimento o fenômeno da repetição de encarnações na forma humana, visando à evolução da alma sem sexo ou idade.

AS TRADIÇÔES WICCANAS

As tradições wiccanas anotam seus rituais particulares no que costumam chamar de o " Livro das Sombras ". Esses são rituais que utilizam nomenclatura e instrumentos específicos da tradição, e que servem para diferenciar uma tradição de outra.

Nas tradições Wiccanas, os rituais de magia são trabalhos grupais concebidos para gerar, programar, liberar e projetar a energia natural para atingir objetivos pessoais ou do grupo. Assim sendo, esses ritos são mais fortemente preservados do que as cerimônias religiosas. E, por serem constantemente praticados em conjunto com trabalhos religiosos, eles também refletem a mentalidade individual da tradição.

PRÀTICAS RITUAIS

Algumas tradições Wccanas praticam seus rituais à noite, outras preferem o dia. Algumas se reúnem e cultuam a Deusa e o Deus em roupas normais. Outras preferem robes, e outras mais não vestem nada. Para complicar ainda mais, os iniciados de algumas tradições cobrem suas cabeças com capuz durante os rituais, enquanto outros não.

Muitas tradições preferem ritiais oa ar livre, enquanto outras jamais saem de suas salas. A maioria das tradições permite que mulheres e homens tomem parte em seus ritiais e ingressem em seu sistema; outras aceitam apenas mulheres, enquanto poucas são exclusivamente masculinas. Muitas tentam estabelecer um equilíbrio entre mulheres e homens dentro de cada coven.

Cada tradição possui razões definidas para manter suas práticas rituais particulares, e certamente não é da conta de ninguém o modo pelo qual os membros de uma tradição se unem à Deusa e ao Deus e praticam magia.

COVENS:

O Covens, que podem ser definidos como grupos de Wiccanos iniciados numa mesma tradição para praticar Wicca, são os guardiães de cada tradição. Mas até mesmo aqui existem muitas opções. Alguns covens possuem 12 ou 13 membros; outros chegam a ter 50 ( conhecidos como " colégios" ). Em alguns casos, apenas dois ou três membros bastam para formar um coven.

Algumas tradições permitem, e até mesmo estimulam, seus iniciados a praticar sozinhos; outros praticamente proíbem isto, exigindo para a prática da wicca em sua tradição que todos sejam membros de um coven.

INSTRUMENTOS RITUAIS:

Cadeirões, athames e cálices esses são apenas alguns dos instrumentos utilizados pelos Wiccanos em seus rituais religiosos e de magia.

Alguns podem parecer ser objetos domésticos comuns, e realmente o são. Existem poucas casas que não possuam vassouras e facas. Potes grandes de ferro fundido de fundo arredoñdado ainda são encontrados em prateleiras empoeiradas ou porões cobertos por teias de aranha. E taças de todas as formas e variedades são utilizadas diariamente por bilhões de seres humanos. Porém, os Wiccanos vêem esses objetos como mais do que meros instrumentos para varrer, implementos de corte ou vasos para beber; essas coisas são por eles vistas como objetos sagrados não a serem venerados, mas sim para serem utilizados em rituais para sintonizar-se com a Deusa e com o Deus.

Os instrumentos da Wicca podem seer forjados sob a luz intensa do sol, esculpidos ao nascer da lua no solstício de verão ou purificados com folhas de manjericão numa clareira de um bosque.

Não importa como sejam obtidos, os instrumentos da Wicca são geralmente reservados apenas para práticas rituais.

IMAGENS da DEUSA e do DEUS

Afrodite sobre a concha surgiu do mar. Diana ( em alabastro ) com seu arco e seu cães de caça. Uma Deusa celestial com a lua crescente sobre a fronte, braços abertos, o cabelo esvoaçando ao redor de sua cabeça. Uma reprodução de uma das famosas estatuetas de " vênus " do período das cavernas.

Herne, o caçador. Jack dos Bosques ou o Green Man ( Homem Verde, n. do T. ), com folhas de carvalho ao redor de seu rosto e saindo de sua boca. Pã e sua gaita. Um sátiro.

Um Deus Cornudo caminhando pelos bosques, barbudo e musculoso. Osíris em toda a sua antiga glória solar.

Muitos wiccanos usam imagens de Deusas e do Deus em seus rituais. Isso é tudo são imagens, nada mais. Figuras. Representações tridimensionais que lembram os praticantes de sua presença.

O ATHAME:

O athame, ou faca ritual, é normalmente uma faca de cabo preto com uma lâmina de aço de corte simples ou duplo. O athame ( possui outros nomes, mas este é o mais comum ) jamais é usado para cortar. Certamente não é utilizado em sacrifícios de qualquer tipo, apesar das mentiras que afirmam o contrário. Na verdade, o athame é um instrumento de magia e de poder. Ele é usado para direcionar a energia natural de dentro do corpo para o mundo externo.

A Faca:

A faca de cabo branco é utilizada em rituais de magia wiccanos com fins práticos, como o corte de ervas ou a perfuração de uma romã, ao contrário do uso puramente simbólico do athame. Jamais é utilizada na prática de sacrifícios.

O Caldeirão:

O Caldeirão é um grande vaso de metal, geralmente feito de ferro. De preferência, apoiado sobre três pés e possui uma boca mais estreita do que sua parte mais larga.

O Caldeirão, o qual está intimamente associado às Bruxas no ideário popular, é um símbolo da Deusa e de tudo o que Ela representa o universo, a plenitude, a reencarnação, a fertilidade, a abundância e o amor. Deste modo, a energia gerada durante um trabalho de magia Wiccano pode ser a ele canalizado.

Pode-se acender fogo dentro do caldeirão com finalidades rituais. Pode ser circundado com flores, ou cheio com água e utilizado para prever o futuro. Apesar dos enganos populaes, raramente são preparadas poções no caldeirão e, quando o são não se costuma atrair neles pernas de largato ou outis ingredientes absurdos apenas folhas, esvas e água.

O Bastão:

O bastão é bastante semelhnte àquele utilizado pelos antigos magos cerimoniais, È geralmente feito de madeira, e pode ser entalhado com símbolos ou cravejado de pedras.

Alguns são feitos de prata e de cristal de quartzo.

O bastão é um instrumento de invocação. Pode ser seguro e erguido enquanto um convite à Deusa e oa Deus é proferido durante um ritual Wiccano. Ao contário do athame, raramente é usado para canalizar energia.

O PENTÀCULO:

O pentáculo é uma peça chata de metal, argila, madeira, pedra ou outra substância natural, na qual são esculpidos ou entalhados vários símbolos. Um destes é o pentagrama, a estrela de cinco pontas usada na antiga magia. O pentagrama por vezes funciona como uma base sobre a qual outros instrumentos ou objetos são depositados enquanto são carregados com energia durante ritual. Simboliza a Terra e a abundância.

A TAÇA:

A taça, ou cálice, é outo símbolo da Deusa e nada mais é do que um caldeirão sobre uma haste. Pode conter vinho ou água, ingeridos de modo ritual.

O INCENSÀRIO:

O incensário. Como muitas religiões antigas contemporâneas, os Wiccanos queimam incenso em hora à Deusa e ao Deus, e também para preparar a área de trabalho para o ritual. Funciona também para alterar a percepção do mundo espiritual por trás  do mundo físico,e não são nacessários ingredientes alucinó´genos para tanto.

POTES COM SAL E ÀGUA:

Potes com sal e água são também utilizados com frequência. Quando misturados, essas duas substâncias geram um líquido purificante que pode ser espargido ao redor da área ritual antes de trabalho de magia e religiosos. Pode-se ainda espargir o sal e a água separadamente, as tradições divergem.

A VASOURA:

A vasoura é por vezes usada em rituais. Pode ser usada para varrer levemente a área de trabalho para purificá-la, como uma alternativa, ou um complemento, ou o uso do sal, e da água. A vasoura é vista como  símbolo tanto da Deusa quanto do Deus, e seu uso em magia remonta às mais priscas eras.

Esses são, portanto, alguns dos instrumentos utilizados em práticas religiosas e de magia pelos Wiccanos. Não são demoníacos. Não são usados para esfaquear, ferir ou matar algo ou algém. São, simplesmente, objetos que alguns humanos encontram para aixiliá-los na conecção com o Divino.

Sob essa luz, eles realmentes são sagrados.

CÌRCULOS:

O círculo é uma figura geométrica única. Eledefine o espaço de modo eficiente, sem ângulos pontiagudos nem cantos. Contém e resiste às forças e energias intrusas.

Fique de pé no centro de uma planície sem árvores.

Olhe para o horizonte e gire lentamente. A abóboda celeste se assemelhará a um círculo sobre sua cabeça.

Na lua cheia, quando ela se elevaexatamene ao pôr-do-sol, ela se assemelha a um cí´rculo plano ao mergulhar no oeste.

Apesar de não podermos afirmar com certeza, essas podem ser algumas das razões pelas quais os antigos povos usavam círculos em trabalhos de magia. Eles eram vistos como instrumentos de proteção, assim como representações do sol e da lua e, por extensão, da essêcia espiritual de nosso ambiente físico a encarnação do Divino.